Ai que saudades…

27 set

Não sei se saudades tem cor.
Dizem que sim
O que eu sei é que ela tem forma
Tem gosto. Tem cheiro e peso também.
E, acreditem, ela tem asas!
Se não, como nos transportaria
Tantas vezes a lugares
Tão distantes?

E sei ainda que ela se agiganta
Quando mais tentamos
Diminuí-la.

Sei que ela dói de dor
Intensa e sem remédio
Se não fosse ela, não sei se teríamos consciência
Do tamanho da importância
Das pessoas para gente
Porque quando amamos alguém
A saudades já chega por antecipação, sorrateira
Disfarçada de algo que não conseguimos decifrar

É aquela dor fininha
De não sei o que, a angústia boba que nos invade só de imaginar
A separação
E a gente fica meio sem saber
O que fazer

Mas é assim…
É uma dor que gostamos
De sentir, um sabor que
Queremos provar, é algo
Que não sabemos explicar
Mas é quase palpável

É amor disfarçado de muita coisa
São emoções guardadas bem lá no fundo
Saudades… Do que foi
E do que vai ser

Saudades
Que nos acompanha para
Diminuir a solidão
E que nos mostra, sobretudo
Que estamos vivos.

Aprendi ainda que saudades não mata.
É só quase
A gente pensa que vai morrer
Mas sobrevive sempre
Porque ela traz escondidinha nela uma outra coisa
Que chamamos de esperança
Que nos ajuda a caminhar
Porque saudades, como o amor, não é cega
Saudades vê mais além.

Este texto encontrei numa comunidade do Orkut,
chamada “Formamos um casal GATINHO!!!”…
Acho que nem preciso dizer de quem estou com
tantas saudades assim, né???
=p

Anúncios

Uma resposta to “Ai que saudades…”

  1. Rubens 28 de setembro de 2005 às 13:30 #

    É… como já dizia o mestre:
    “É preciso que a saudade desenhe tuas linhas perfeitas,
    teu perfil exato e que, apenas, levemente, o vento
    das horas ponha um frêmito em teus cabelos…
    É preciso que a tua ausência trescale
    sutilmente, no ar, a trevo machucado,
    a folhas de alecrim desde há muito guardadas
    não se sabe por quem nalgum móvel antigo…
    Mas é preciso, também, que seja como abrir uma janela
    e respirar-te, azul e luminosa, no ar.
    É preciso a saudade para eu sentir
    como sinto – em mim – a presença misteriosa da vida…”

    “Amar é mudar a alma de casa.” (Mário Quintana)

    Tb sinto muita saudade…
    Amo você, bjos…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: